Notícias

Aparecido dos Passos: 42 anos de uma carreira alicerçada na cordialidade

Data:

“Nos primeiros meses, eu não tinha cliente. Eu colocava meu terno, pegava minha pasta e ia para o Fórum, conversava, fazia amizades, até que um dia uma pessoa me indicou e foi assim que eu comecei a advogar”. Um dos primeiros advogados de Mato Grosso do Sul, Aparecido dos Passos começou a carreira em 1978.

Aos 82 anos e com brilho nos olhos ao lembrar da carreira na advocacia, ele fala com orgulho o número da carteira da OAB: “1.991, quando era Mato Grosso uno. Eu me formei numa época em que existiam apenas 70 advogados no Estado. Eu tinha colegas como Plínio Barbosa Martins, Francisco Giordano Neto, dentre tantos outros”.

Um dos primeiros a pisar no Complexo OAB/MS, Doutor Passos fez parte da Comissão de Obras da Sede e Diretor-Tesoureiro na época da construção, além de ex-Conselheiro da Casa.

Filho do Seu Benedito Polveiro dos Passos e da Dona Alzira Elídia, Doutor Passos nasceu em 26/05/1938, em Nhandeara, município com pouco mais de 10 mil habitantes no interior de São Paulo. Na década de 70 se mudou, “de mala e cuia”, para o então Mato Grosso uno, com a esposa e os dois filhos. “Eu vim tentar a vida como muitos outros paulistas e paulistanos. Vim, por indicação de um conhecido, ser vendedor em uma loja de móveis. Trabalhava até às 18 horas, às 19 horas entrava na faculdade”.

Ele se refere à antiga Faculdades Unidas Católicas de Mato Grosso (FUCMT), atual Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), onde se formou em 1977, entrando com pedido da carteira em 1978, ainda em Cuiabá. Anos depois, ele voltou a atuar na UCDB, como Professor de Direito do Trabalho.

Casado há 53 anos com a Dona Minerva Maria, Passos é pai dos Advogados Aparecido dos Passos Júnior, Procurador-Chefe da Procuradoria da União no Estado de Mato Grosso do Sul, e do Procurador-Geral de Justiça do Mato Grosso do Sul Paulo Cezar dos Passos.

A carreira

“Nos primeiros meses, eu não tinha cliente, mas ia para o Fórum, ainda na Rua 26 de agosto, todos os dias depois do almoço. Um dia, me indicaram, mas eu ainda não conseguia pagar todas as despesas de casa. Depois eu fiz uma especialização e me aprimorei no Direito do Trabalho, área que trabalho até hoje. Hoje já quase me aposentando, não tão intenso como antigamente”, se referindo ao cansaço que as décadas de experiência lhe trouxe.

Ele relembrou um caso “pitoresco” que marcou Campo Grande na década de 80 e quase o fez trocar de profissão. “Uma senhora, de descendência japonesa, me procurou para tratar de um litígio familiar. Estudamos o caso, combinamos os honorários e entramos com ação de reconhecimento de sociedade de fato, com o ex-marido. Antes da audiência, eu, os dois e o advogado da parte nos encontraram no meu escritório, conversamos e chegamos a um acordo na divisão dos bens. Na manhã seguinte, fizemos a petição e na saída para o Fórum, a mulher chamou o ex-marido para conversar, ela tirou um revólver da pasta, atirou nele e depois se matou. Foi uma susto e uma correria. Polícia, Imprensa, curiosos, mais de mil pessoas na travessa do meu escritório. Eu fechei o escritório uma semana e quase desiste da advocacia”.

Naquele momento, Doutor Passos lembrou das dificuldades que passou no início da carreira e de uma célebre frase de seu falecido pai: “O que quer que você faça, faça bem feito e nunca passe ninguém pra trás”. Ele continuou: “Eu, graças a Deus, sempre fui muito respeitado. Sou um homem realizado. Muitos advogados passaram pelo meu escritório, inclusive a hoje Secretária-Adjunta da Casa Eclair Nantes, que começou a carreira na labuta ao meu lado”.

Passos faz parte da história da Justiça do Trabalho de Mato Grosso do Sul. Ele auxiliou na implantação da 1ª Vara do Trabalho em Mato Grosso do Sul, na década de 1980. Em 2018 foi agraciado com Medalha ’25 anos de história’ do TRT/MS e em 2019 recebeu prêmio por atuação na Conciliação.

O decano deixou um recado aos novos advogados em tempos de crise: “A advocacia é sim sofrida, não é fácil. Não faça pouco caso para um cliente que parece ser mais humilde. Seja humilde e cordial com todos. Converse. Seja transparente. Não ache que vai ficar rico da noite para o dia com uma ação. Seja honesto e nunca deixe de estudar”.

Compartilhando Conhecimentos

Com objetivo de incluir os advogados e advogadas decanos nas atividades da advocacia e valorizar aqueles que fizeram a história de nosso Estado, a Diretoria da OAB/MS lança a Campanha ‘Compartilhando Conhecimentos’.

O Doutor Passos foi o primeiro de uma série de advogados (as) que serão ouvidos pela OAB/MS, em respeito ao Plano de Valorização da Advocacia Idosa e em um período de diversas exigências tecnológicas implementadas para o enfrentamento da disseminação do novo Coronavírus (Covid-19). É mais uma forma de garantir o acesso e a inserção dos profissionais com idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos nos sistemas e tecnologias da informação digital.

 

Texto: Catarine Sturza / Fotos: Gerson Walber