Notícias

Mãe e filha realizam o sonho de se tornarem advogadas e juntas recebem carteira em solenidade na OAB/MS

Data:

Duas gerações na busca do mesmo sonho: tornarem-se advogadas para atuar na defesa da sociedade. Foi com esse propósito que mãe e filha não mediram esforços, dedicaram-se e conquistaram a aprovação no Exame de Ordem. Juntas, selaram o compromisso e receberam a carteira para o exercício da profissão ao lado de mais 44 novos advogados (as) e estagiários (as), em solenidade realizada nesta quinta-feira (3), no auditório da Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Mato Grosso do Sul (OAB/MS).

Quando anunciadas, Dagma Lourdes Lisboa, de 45 anos, e Gabriela Caprini, 23 anos, subiram ao palco diante de muitos aplausos, expressões de surpresa e receberam as carteiras das mãos da Diretoria da OAB/MS. Dagma conta que é formada desde 2015. Prestou algumas provas do Exame de Ordem, até mesmo com a filha, mas que somente depois de Gabriela é que conseguiu a aprovação.“É muito importante eu receber essa carteira, sendo ao lado da minha filha a realização deste sonho torna-se ainda mais especial”, comemorou.

Gabriela falou da emoção em receber a carteira junto à mãe. “Passei no Exame primeiro e depois logo ela passou. Então, coincidentemente, estamos recebendo juntas. Estudei bastante e vejo agora, no final, que toda dedicação valeu a pena. É de muita alegria compartilhar esse momento com a minha mãe”, frisou.

A mesa de honra da solenidade de entrega de carteiras foi composta pelo Presidente da OAB/MS Mansour Elias Karmouche; Vice-Presidente Gervásio Alves de Oliveira Júnior; Secretário-Geral Stheven Razuk; Diretor-Tesoureiro Marco Rocha; Presidente da Caixa de Assistência dos Advogados (CAAMS) José Armando Amado; Presidente da Comissão da Jovem Advocacia Janine Delgado; Presidente da Comissão de Exame de Ordem André Fredo; e Presidente da Comissão de Direito Militar Paulo Doreto.

Janine abriu o evento dando boas-vindas e parabenizando aos novos advogados pelo ingresso à Ordem. “A família é formada por aquelas pessoas que mais torcem por nós, e, hoje, vocês entram para a família OAB. Da recepcionista ao presidente, todos irão ajudar vocês. A OAB é a Casa do Cidadão e do Advogado. É um orgulho tê-los conosco”, recepcionou.

Em seguida, o Presidente da CAAMS José Armando explicou os serviços oferecidos pela Caixa. “Somos o braço assistencial da OAB/MS. Temos livraria, farmácia, dentista, odontopediatria, vários convênios e benefícios como auxílio-maternidade, funeral, entre outros. Estamos de portas abertas para atender a todos”.

Seguindo o protocolo de toda solenidade de novos profissionais, o juramento foi lido pela bacharel Gabriela Caprini e o discurso em nome da turma feito por Carla Cristina Carvalho da Silva. “Sabemos que a jornada não foi fácil. Muitas vezes pensamos em desistir, mas o sonho de ser advogado falou mais alto. Vencemos a batalha e não lutamos sozinhos. Tivemos apoio dos nossos familiares e amigos. Apoio esse de grandiosa importância para que pudéssemos chegar até aqui. Daremos início agora a uma nova fase, com orgulho de fazer parte da Ordem dos Advogados do Brasil”, celebrou.

Discurso Presidente encerra solenidade

O Presidente da OAB/MS, Mansour Karmouche, fez o discurso de encerramento e destacou a importância do respeito à Constituição brasileira e ética na advocacia. “A Ordem dos Advogados do Brasil no seu papel fundamental defende a cidadania, o estado democrático de direito, a amplitude do contraditório e ampla defesa. A Constituição é sempre o nosso guia. O que nela está é o que escolhemos para o País. Quando vemos desvios de conduta, pedimos sempre que seja apurado. É muito importante que vocês, que hoje ingressam nos quadros dessa instituição com quase um século de trabalhos prestados para a sociedade, saibam disso. Muitas vezes sofremos críticas, mas temos que absorvê-las para melhorar. Não é refutando-as que vamos fazer uma sociedade melhor”, enfatizou.

Exemplificando a atuação da Ordem no respeito às leis e ao Código de Ética, Mansour lembrou que na semana passada três advogados perderam temporariamente o direito ao exercício da profissão. “Tivemos que suspendê-los por envolvimento em atos ilícitos. Fizemos a nossa parte dando resposta à sociedade. Essa não é uma instituição que apenas protege ao advogado, mas que também cobra condutas lícitas e éticas, assim como todas as instituições que têm compromisso com a sociedade brasileira”, reforçou.